Otávio e a adptação na escola!

Otávio e a adptação na escola!

Hoje completa 3 meses que o Otávio começou na escolinha e quero aproveitar essa data e falar sobre como foram esses 3 meses, mais especificamente sobre o processo de adaptação dele e do problemas de saúde que já teve nesse período.

Antes de começar quero comentar que na mesma época no ano passado tirei ele da escola. Ele tinha começado a ir em janeiro e tivemos que parar de levá-lo no início de abril (um pouquinho antes de fazer um ano). O principal motivo dele sair do maternal foi a asma, avaliamos bem a situação e decidimos (eu e meu esposo) que seria melhor para ele não ir mais (já falei sobre isso aqui no blog).

Então o Otávio ficou sem ir na escola de abril a janeiro desse ano (2015)! Tratamos a asma e ficou super bem, em função disso e de outros motivos decidimos colocá-lo de novo em uma escolinha.

Como já falei, ele começou em janeiro/2015. A adaptação na primeira semana foi super light, na terça foi só conhecer o lugar e amou, na quarta já ficou algumas horas, na quinta um pouco mais e na sexta mais um pouquinho. Optei por ele ficar somente meio período, assim sobra um bom tempo para eu poder ficar com ele.

Na segunda semana ele começou a chorar quando o deixava na escola, coisa que não fazia na primeira. Mas pelo que as professoras me contavam logo passava e começava a brincar com os coleguinhas. O chorinho continuou por um bom tempo, inclusive tem dias que ainda chora quando o deixo, porém tem vezes que nem chego a sair da sala que já parou.

Vejo que ele gosta muito do maternal e foi super tranquila a adaptação, tem dias que chora para ir embora. Ama brincar com os amigos, ficar correndo no pátio da escola e fazer trabalhinhos (principalmente os de pintar).

Mas nem tudo foi tão simples assim, tivemos vários problemas de saúde nesse período dos 3 meses de escola. Que segundo a pediatra: fazem parte do convívio social com outras crianças. Abaixo segue o meu relato sobre esses “probleminhas”…

Tudo começou com uma estomatite, na segunda semana de aula, bem no período de adaptação da escola! Mesmo assim, decidi continuar levando ele para não parar com o processo de adaptação, porém estava indo pouquinhas horas e combinei com as professoras se caso estivesse chorando (devido a dor da estomatite) eu buscaria ele, mas não foi preciso (graças a Deus), pois quando estava na escolinha acabava de certo modo esquecendo da dor. 

Passaram-se alguns dias e começou com diarréia e vômito, agora o diagnóstico era gastroenterite. Ficou bem ruinzinho e foram dias dífíceis (10 dias). A única coisa boa disso tudo é que conseguiu parar com a chupeta, já que recusava chupar ela devido a dor na boquinha por causa da gastroenterite.

Resolvidos os problemas e passados mais alguns dias (no final do mês de fevereiro) o Otávio começou a ficar com um dos olhos bem vermelho e depois ficou o outro. Inicialmente achei que fosse uma reação alérgica, mas não passou. Levei ele no pronto atendimento e era uma conjutivite viral, medicamos com um colírio específico e logo melhorou.

Como troquei de pediatra no início do ano, estou levando ele mensalmente nas consultas, até a médica conhecer bem ele. Tivemos a segunda consulta com ela bem no começo de março e para a minha surpresa o meu filho estava com Otite, para tratar ela teve que entrar com antibiótico. Me senti culpada por não ver que ele estava com a inflamação, até conversei com a professora dele sobre isso que logo me tranquilizou falando que realmente não dava para notar já que ele não apresentava sintomas.

Passaram mais alguns poucos dias e lá pelo dia 20 de março começaram sintomas de uma gastroenterite, só que dessa vez eles começaram logo após eu apresentar sintomas iguais, provavelmente pegou a virose de mim. Foram, novamente, dias difíceis e ele ficou bem fraquinho, acabei optando por não levá-lo na escola (ficou uma semana sem ir).

Consultei com a pediatra no final do mês de março, mas o problema da gastroenterite já estava resolvido. O mais preocupante, nesse momento, era o peso que tinha perdido, em função disso começou a tomar um leite especial para recuperar.

Para terminar, no final dessa semana passada (dias antes da Páscoa) começou com sintomas respiratórios (falta de ar). Tivemos que fazer a bombinha e medicamentos (corticóide e antialérgico). Agora já está bem melhor, espero que a parte respiratória não comece a complicar mais e isso seja somente em decorrência da baixa da imunidade e da troca de temperatura.

Conversei com a pediatra sobre todos esses problemas e a escola, queria saber o que ela achava. Ela me falou que criança que vai na escola que no início é assim mesmo (pega todas as viroses possíveis), que o ideal mesmo seria levá-lo somente depois dos 3 anos, porém quando começasse a ir com os 3 anos, também iria correr o risco de ter tudo isso.

Resumo de tudo: infelizmente tudo isso é muito difícil, mas toda criança que vai em uma escola está sujeita a esses problemas de saúde. Somente temos que ficar atentos para casos mais graves como infecções recorrentes (principalmente de ouvido) e muitas crises de asma, que seriam complicações mais sérias.

Então diante de…

  • Uma estomatite (janeiro/2015)
  • Duas gastroenterites (janeiro e março/2015);
  • Uma conjuntivite (fevereiro/2015);
  • Uma otite (março/2015);
  • Uma crise de asma (abril/2015).

Decidi continuar tentando a escolinha! O Otávio gosta muito de ir e ama esse convívio, acho que isso é melhor do que ter uma pessoa na minha casa para cuidar dele.

Espero que esse ano esses problemas de saúde passem e tudo melhore.

Beijos e uma ótima semana

IMAGEM: do Otávio na escola

Deixar um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>